Como Medir o pH e o Cloro de sua Piscina

Fundamental para se manter uma piscina cristalina, a análise de pH e do Cloro é um procedimento bastante simples.

Mas, antes de aprendermos a analisar esses dois parâmetros, vamos entender brevemente a importância de cada um: pH é a abreviação de Potencial Hidrogeniônico, ou seja, é a concentração do íon hidrogênio existente na água.

Quanto mais hidrogênio presente, mais ácida se torna a água. A escala de pH vai de 0 à 14, no entanto, os kits tradicionalmente vendidos para o uso em piscinas conseguem analisar o pH em uma faixa que vai de 6,8 à 8,2.

piscina-facil-aprenda-como-medir-o-ph-e-o-cloro-de-sua-piscina2

O pH e o Cloro

Saiba mais sobre esses dois parâmetros

O pH influencia em, praticamente, todas as reações químicas que ocorrem em uma piscina. Por exemplo: alguns produtos, como o cloro, agem mais rapidamente quando a água possui pH ácido (abaixo do 7), já outros produtos, como o clarificante, funcionam melhor em pH básico (acima do 7). Para os usuários de uma piscina, o pH que proporciona o melhor bem estar é o pH por volta de 7,2 pois é este o pH do olho humano. Dessa forma, o ideal é manter o pH entre 7,2 e 7,6, fazendo com que os usuários não sintam irritação em seu olhos e os produtos químicos funcionem de forma adequada.

O Cloro analisado pelos kits tradicionais de piscinas medem a concentração do Cloro Residual Total. Ele é denominado de “residual” por ser o resíduo (sobra) da quantidade total de cloro que foi aplicada na piscina descontada a quantidade de cloro consumida nas reações de oxidação da matéria orgânica, da quantidade volatilizada (aquela que se perdeu em forma de gás para a atmosfera) e do cloro eliminado pela ação dos raios solares. A nomenclatura “total” indica que ele é a soma do cloro livre e do combinado conforme entenderemos a diferença a seguir.

O cloro livre é aquele que ainda não está combinado com outras substâncias, estando pronto para se aderir à qualquer material orgânico, como fungos, vírus, bactérias, algas e até mesmo folhas de árvores e restos de vegetação. No momento que a molécula de cloro livre se adere à alguma substância orgânica ela inicia o processo de oxidação, eliminando, ou pelo mesmo, reduzindo sua massa, sendo daí em diante classificado como cloro combinado. Tanto em piscinas, como para o consumo humano, o ideal é termos a concentração mais baixa possível de cloro combinado pois este tipo de cloro residual é mais nocivo à saúde, principalmente à pessoas alérgicas.

Agora, que já temos uma noção da importância de cada um desses parâmetros, vamos aprender o método correto de análise.


Os Procedimentos

Material utilizado: Kit de pH e Cloro marca Genco.
Custo: Por volta de R$ 35,00
Onde adquirir: Em qualquer loja especializada em materiais para piscina.

1   Enxaguar a célula comparadora na água que será analisada;
2   Mergulhar a célula comparadora cerca de 30 centímetros abaixo da linha d’água com a abertura virada para baixo;
3   Desvirar a célula comparadora permitindo o seu preenchimento completo;
4   Retirar a célula comparadora de dentro da água e remover o excesso de água determinado pela marcação no tubo;
5   Aplicar 4 gotas do reagente vermelho no tubo do lado direito;
6   Aplicar 4 gotas do reagente amarelo no tubo do lado esquerdo;
7   Tampar os tubos e mexer até homogeneizar a solução;
8   Comparar a cor obtida com a escala ao lado de cada tubo.

Valores ideais

pH: 7,2 à 7,6

como-medir-o-ph-piscina-valores-faixa-ideal

Cloro: 1 à 3 ppm

como-medir-o-cloro-piscina-valores-faixa-ideal

Curso Básico
de Manutenção de Piscinas

Disponível em todo Brasil.


Ainda ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo que teremos prazer em respondê-lo!